domingo, 25 de setembro de 2011

Pequenas conversas com Nina ( Futuro )

Fui beber com uma amiga da faculdade e entramos em uma complexa discussão sobre futuro.

- Te acho tão porra louca Nina ...
- Ah, cuidado com as palavras Tati.
- Você não segue uma rotina, uma organização de vida. Você é inconstante demais.
- Eu não sou é senso comum, meu bem.  Tenho verdadeiro horror ao cotidiano.
- O que vê pro seu futuro?
- Não gosto de pensar nele...
- Digo em relação a uma rotina, não tem vontade de ter uma casa com uma mulher te esperando, um lugar pra onde voltar?
- Meu Deus! Você é um patriarca americano. Ah! Eu gostava tanto de você ...

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Pequenas conversas com Nina ( Amigo )

Em mais um dia de bebedeiras na Lapa, sentada no bar eu vi que ia passando um “amigo”, aquele que se sumisse não faria a menor diferença, o problema é que esses nunca somem.

- Lá vem ele Bia. ( Nina).
- Acho que ele não te viu.
- É?
- Ah! Não... Ele tá acenando e vindo pra cá!
- Ótimo! Meu dia de sorte.

Virei meu copo de vodka. Ascendi meu cigarro e ele chegou.

- Nina! Que saudade!
- Você jura?
- Claro.

Ele nunca acompanha minhas ironias, deve ser por isso que gosta de mim. Ele continuou:

- Tá fumando ainda?
- Quando foi que eu disse que ia parar?
- Isso faz mal ... Ainda vai te matar.
- Meu bem, cada um morre como quer. Você por exemplo provavelmente vá morrer de tédio né?!
- Não entendi.
- Deixa pra lá.
- Sabe o que eu acho às vezes? Que Você não gosta mais de mim.
- Ah Você acha? O que tá faltando pra ter certeza?
- Por que isso Nina?
- Olha, Marcos eu poderia ficar aqui te dando "N" motivos, mas sejamos objetivos e práticos: Você é chato!

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Pequenas conversas com Nina ( DR )

Em plena quarta-feira uma menina com quem estava saindo me chamou pra beber, por ser quarta ela até ganhou o meu respeito, mas perdeu totalmente ele quando chegou e começou a falar.

- Tava com saudade Nina.
- Legal.
- Você não tava? Por que você nunca fala? Só eu falo as coisas ...
- Pois é e tanto que não me sobra tempo e espaço.
- Você tem que parar com isso, esse seu trauma, os medos ...Vai perder todas as pessoas legais, as chances de ser feliz.
- Mas que mania de acharem que eu não sou feliz! Olha só agora... Tenho uma bela mulher comigo, é verdade. Eu pareço feliz? Não! Porque você não para de falar e eu estou em uma pseudo “DR” com alguém que nem minha namorada é, imagina se fosse...
- Grossa!
- Eu te avisei, sempre fui honesta.
- Tem que ter paciência com você, eu esqueço disso. Mas eu acredito em você, que você um dia vá esquecer tudo isso, com o tempo...

Eu já revirando os olhos respondi.

- Mas que chatice! Eu só queria beber uma cerveja... Cara, qual o problema das mulheres? Elas às vezes são tão dementes. Você explica por horas que você não quer nada além de sexo e parece que tem um tradutor bêbado na cabeça dela dizendo: “Nossa, tadinha! Ela tem um trauma... Ela é tão linda! Você pode compreender isso, talvez você até mude a vida dela.” Não! Quando eu digo que só quero transar é porque eu só quero transar. Simples assim!